terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Fazer história

Aproxima-se o centenário da revolução republicana que, não sendo uma data feliz, é uma data histórica e como tal será assinalada. Se para os seus devotos se trata de comemorar, para os monárquicos e cidadãos livres trata-se tão só de rememorar.
Garantidos estão já discursos laudatórios e pomposas evocações: o regime celebrará a data do seu nascimento e a sua sobrevivência por um século. As comemorações oficiais não se debruçarão sobre a república proclamada em 5 de Outubro de 1910, mas sobre um regime idealizado e abstracto, sobre generosas intenções que se presumirão nos republicanos de 1910, e das quais os políticos comemorantes pretenderão afirmar-se herdeiros.
Acontece que estas celebrações, pelos equívocos em que se sustentam, constituem uma oportunidade única de sobrepor a verdade histórica à propaganda oficial. Assim, beneficiando da democrática ferramenta de comunicação em que se tornou a Internet, um grupo de cidadãos juntou-se com a intenção de desenvolver uma plataforma informativa on line o www.centenariodarepublica.org. Ainda em construção, neste sítio pretende-se coligir informação histórica, desde simples dados estatísticos a imagens e transcrições da época, acontecimentos e ensaios e até artigos de opinião. Quanto a este blogue esperamos que se afirme a curto prazo como um privilegiado espaço de fervilhante polémica e o aceso debate.
Idealizada a iniciativa pelo Carlos Bobone e por mim há quase um ano num primaveril almoço, cedo desfiámos um núcleo de voluntariosos colaboradores para o arranque do projecto; são eles Duarte Calvão, João Paulo Carvalho, Nuno Pombo, e o Paulo Cunha Porto.
O desafio a sério está agora a começar, e esperamos que este projecto venha a revelar-se uma eficiente contribuição, uma boa fórmula de contrariar a propaganda do regime, seja ela mais ou menos oficial. Para este repto contamos com a participação de todos que assim o desejarem.
Até breve!
Na ilustração: logótipo da Plataforma do Centenário, composto por uma caricatura destacada do jornal Papagaio Real nº 7 do ano de 1914 representando a guarda republicana em perseguição dum ardina que distribuía jornais monárquicos.

21 comentários:

Borges disse...

hahahaha!

estes monárquicos estão loucos...

Funes, o memorioso disse...

Estamos à espera.

João Mattos e Silva disse...

Fico à espera de novos desenvolvimentos para contribuir como puder. Força.

JB disse...

Estou de momento a fazer precisamente mais um dos meus vídeos,que chamei de "Viva a Republica" para realmente por a cru o que não convém informar.
Nomeadamente todo o período da 1ª republica.
Claro que ando na net a fazer pesquisa,mas se puder ter info de "prós" melhor ainda,de modo que passarei a vir a este blog frequentemente.
Além de me agradar de sobremaneira sentir que afinal não sou o unico.
Abraço.

Caso ainda não tenham visto...fiz um pequeno vídeo sobre o regicidio...

http://www.youtube.com/watch?v=TjEGx1RSWoI

César David Sousa disse...

O que não se pode esquecer é que a História da República não começou a 5 de Outubro de 1910, mas sim a 1 de Fevereiro de 1908. Esse centenário é já daqui a uns dias. Fale-se mais sobre isso, porque não? Vale tudo.

TPestana disse...

Muito oportuno,

Uma vez que a república começou com o regicídio de 1908, acho que é bastante apropriado começarem a preparam a comemoração dos 100 anos com a comemoração dos 100 anos do regicídio...

Um grande bem haja!

in-direita.blogspot.com

Luís Bonifácio disse...

Saúdo a boa ideia que anima os autores deste blog.

RICARDO PINHEIRO ALVES disse...

Estou totalmente à disposição para colaborar no que me for possível. Se à coisa que mais me irrita é a mentira repúblicana.

Estou nos IV's com o Nuno Pombo.

RICARDO PINHEIRO ALVES disse...

a com h obviamente

joaotavora+1 disse...

Obrigado pelas palavras simpáticas.

Em breve faremos os contactos formalizando convites para colaboração. Estamos só a preparar o "manifesto" e umas burocracias finais.

Cumprimentos,

Igor disse...

Eu pelo nome do link pensei que fosse alguma ligação da República e Laicidade. No entanto, bastou-se só ler os apelidos dos colaboradores para perceber que eram monárquicos.

João Távora disse...

O Igor pensou mal.

Igor disse...

Eu sou muito estúpido e resolvi tomar a sério o que o senhor Távora disse, pondo para trás das costas o meu instinto para farejar a aristocracia sem "cracia" e muito pouco "aristo". Fui ver os perfis dos autores citados no post.

Pois claro, monárquicos.

Diogo disse...

Parabéns pela iniciativa!

http://monarquico.blogspot.com/

leonidas disse...

excelente!

bem haja

Rui Monteiro disse...

Estamos à espera :)
Boa sorte, se precisarem de alguma coisa avisem.

Abraço

João Távora disse...

Caro Rui Monteiro: Gostava de entrar em contacto consigo e não encontrei o seu endereço electrónico. Pode contactar-me através do meu e mail disponível no meu Perfil do blogger? Grato,

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Caro João Tavora

Parabens pela iniciativa. Conte comigo e com o que necessitar (salas para conferencias, etc).

Um abraço

José Tomaz de Mello Breyner

Nuno Nasoni disse...

Não há uma entradazita, hoje?...

Nuno Castelo-Branco disse...

Parabéns! Não se esqueçam de sublinhar alguns dos sucessos da república e entre eles,
- a política de repressão sindical
- a redução drástica dos cadernos eleitorais
- a política de exclusivismo do prp/pd na política
-a ruína económica e a falsificação descarada das contas públicas
-a estrondosa derrota militar em TODAS as frentes na I Guerra Mundial
-o caciquismo violento e controleiro dirigido pelo canalha-mor do regime, o tal A. costa, mais conhecido por Ligório.
-a incrível inépcia do barão de Joane, vulgo Bernardino. Intriguista, vulgar e irresponsável, deposto por duas vezes.
-a violência urbana extrema a que submeteu o país inteiro
-o total descrédito internacional que levou à ameaça da colocação do ultramar sob tutela da SDN
-a Formiga Branca, a Legião Vermelha, a Camioneta fantasma, a Leva da Morte e centenas de casos semelhantes.
-a tremenda carestia
-mais de quarenta (40!!!!) governos em 16 anos!
-8 presidentes em 16 anos. Bravo, um record, nem o Burkina Faso!
-48 anos daquilo que se sabe (2ª república).

Têm muito para celebrar, mas por favor, tentem não exibir muito o trapinho ridículo da carbonária consagrado como bandeira, assim como o busto grotesco da Badalhoca. É um desprestígio
e com uma risada de escárnio,
adeus e passem bem!

filomeno2006 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.