domingo, 7 de dezembro de 2008

... hão-de tornar a chamá-los...



“Se mandarem os reis embora, hão de tornar a chamá-los”.


Alexandre Herculano

6 comentários:

space_aye disse...

Vain sonhando vai...

Nuno Castelo-Branco disse...

Não estamos a sonhar, os senhores é que estão num longo pesadelo e parecem gostar! Ainda os veremos a adesivar pressurosamente e a tornarem-se mais brigantinos que nós...

radical royalist disse...

I love this flag!! May it soon become Portgal's national flag again.

A. Moura Pinto disse...

Ser rei é a sua profissão?

D. Duarte-Tive várias oportunidades de trabalho, mas não aceitei, porque, na minha condição, não poderia ser empregado de ninguém.

Ofereceram-lhe empregos?

D. Duarte-Sim, propuseram-me cargos de administrador em bancos (ainda bem que não aceitei, senão agora estaria preso). Não aceitei porque perderia a minha independência.

Ocuparia muito do seu tempo.

D. Duarte-Não foi por causa disso, porque os administradores dos bancos não fazem nada. Mas, na minha posição, se eu trabalhasse numa empresa, como assalariado, as minhas opiniões estariam condicionadas, não teria credibilidade.

Um assalariado não tem liberdade de expressão?

D. Duarte-Devia ter, mas nem sempre é possível.

Nunca lhe passou pela cabeça ter uma carreira profissional?

D. Duarte-Cheguei a pensar abrir um hotel na Guiné, ou em Timor. E estive para ficar na Força Aérea, em Angola, nos anos 70. Gostei muito. Poderia ter sido militar de carreira. Provavelmente teria sido saneado no 25 de Abril.

Entrevista do Chefe da Casa de Bragança
Público, 01-12-2008

space_aye disse...

E anda o Estado a alimentar essa canalha sem que ele faça nada na vida.
Que tristeza...
Ainda dizem que estamos numa República e a critica, por ser isso mesmo.

Nuno Castelo-Branco disse...

Lá está o Space com patetices. olhe, quando os "republicanos" andavam a distrair-se por cá, andava o D. Duarte com o actual presidente de Timor leste, a tentar fazer algo por aquela gente. Tem o Space a mínima ideia acerca das actividades do duque em múltiplas entidades de interesse público? Se é assim tão inútil - e você não despende um tostão dos seus impostos com ele, ao contrário dos milhões com os seus "presidentes" -, pense um segundo (chega) acerca da razão da sua audiência nos PALOPs, por exemplo. Mas olhe, contente-se, pois agora tem um chefe de estado que tem andado em ricas companhias, não haja dúvida. Ele e alguns dos antecessores. O duque de Bragança num banco: isso queriam vossas excelências, porque o bota abaixo ficava mais fácil. no entanto, não têm ponta por onde pegar. Nós, por acaso, se fossemos do calibre dos Costas e restantes bandalhos... havia de ser bonito!

Mas tem razão quando diz ... anda o Estado a alimentar essa canalha... Pois anda, há 98 anos que os seus impostos e dos seus avós, servem para isso mesmo.