sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Burriquices a rolo



A dona Fernanda, decidiu que no próximo 5 de Outubro, enrolará o país ao som de A Portuguesa. Parece-nos muito bem. Hino retintamente monárquico, dedicado a D. Miguel (II), era, segundo consta, cantado pela rainha Dª Amélia aos seus filhos, industriando-os num patriotismo muito dinástico.

Simultaneamente, a dona Fernanda diz que .."há mais conhecimento sobre os elementos da história geral, do quotidiano e das vivências. Há uma consciência histórica mais global". Tem toda a razão, até porque se torna cada vez mais difícil o impingir mentiras até aos mais desinteressados.
Acaba a dissertação, falando em contingências "de orçamento". Claro, tocou no móbil da comemoração, no ponto sacramental. Que se confesse ao bispo do Porto, aconselhamos nós.

4 comentários:

Daniel Nunes Mateus disse...

Viva Nuno. A dona Fernanda como dizes foi minha professora de História Contemporânea do século XX. E olha, se sabia que fazia parte da nossa plataforma, nunca tratou-me mal ou foi injusta comigo na nota final para o meu desempenho e capacidade. (12 valores)
Isto porque também soube dar-me ao respeito e nunca desprezei uma pessoa com quem digo-te: Aprendi alguma coisa. Como Historiador de formação que és, devias ter o bom senso de saber criticar construtivamente. Separar o trigo do joio, a História da Política, a comissária da professora com anos de experiência. E lembra-te que ela é uma especialista com muitos anos de estudo e leitura e acho que tu não dedicas-te à investigação historiográfica. Considero o teu comentário inoportuno por duas razões: critica fácil e tenho a certeza que no 5 de Outubro ela vai ler isto e quem fica mal na foto sou eu, porque é que fui o aluno dela.
Nuno, partido do principio que tens-me em consideração tira-me este post. É que estamos a falar da minha professora de quem gostei ser seu aluno.

Nuno Castelo-Branco disse...

Daniel
1. A Dª Fernanda Rolo não faz parte da nossa plataforma. Pelo contrário, participa na plataforma oposta, aquela que se tem dedicado a dizer "verdades" como a de uma 2ª república que "jamais" existiu. São pagos e fazem o seu trabalho de encomenda. Por exemplo e para ficarmos por aqui.
Não sou apologista da censura e desde já informo que não tenho acesso ao controlo do blog. Foi um simples post que nada significa se o compararmos com a campanha de intoxicação que a chamada Comissão do Centenário anda a fazer pelo país fora.
2. Não sou "historiador", nem tenho a mínima pretensão a tal. Apenas fiz o curso de História na FLL, coisa bastante diferente de arrogar-me a qualquer tipo de titularidade.
3. Não me interessa nada a experiência que a Dª Fernanda Rolo tenha ou não tenha. Já ouvi muitos diplomados dizerem inacreditáveis disparates. Por exemplo, na FLL fui repreendido por chamar a atenção de uma docente que nas moedas não surgiam "esfinges" de monarcas, mas sim, efígies. Teve a arrogância de me chamar a atenção!
4. Quem assinou o post fui eu e creio que isso está bem explícito. O único responsável é o Nuno e não o Daniel. Por te ter em consideração, tomo-te como uma pessoa perfeitamente autónoma. A Dª Fernanda Rolo decerto compreenderá.
5. Não desprezo a Dª Fernanda Rolo, mas guerra é guerra. Estamos fartos de ser soterrados por ardilosos disparates que ofendem quem tenha um mínimo de leitura. Sem pretensões de qualquer espécie, já li umas coisinhas. Não sou tão burro como possas pensar.
6. Para retirar o post, terás de contactar o gestor do blog.

Daniel Nunes Mateus disse...

Nuno, fiz-te este reparo porque penso que não devemos desprezar as pessoas com quem apreendemos. Tal como já apreendi alguma coisa nas poucas vezes que temos privado, também apreendi algo com a Fernanda Rollo.

Nuno Castelo-Branco disse...

Não desprezo a dita professora. Nem sequer a conheço, mas creio que deve ser inteligente e depressa perceberá que sendo a sua Comissão uma plataforma totalmente política, temos o direito de ripostar.