terça-feira, 10 de março de 2009

Ética republicana

"À noite fomos todos ao Theatro do Gymnasio onde havia uma festa de caridade (...). Às 11h. de repente ouviram-se gritos de viva a republica e morras aos Thalassas, havendo um grupo que tentou á força entrar no Theatro.
Foi esse grupo repelido por todos nós homens que estavamos no Theatro, chegando a haver tiros.
Baldomero Sagastume (ministro da Argentina) em nome de todos os diplomatas ali presentes mandou um bilhete ao Governo Civil e só então vieram policias e a guarda republicana!!. Foi uma cousa mandada fazer pelo Governo".
Prof. Thomaz de Mello Breyner, in Diário 1911-1913, pág. 226.

2 comentários:

jms disse...

É muito engraçado o paralelismo de situações com o que se passou com o primeiro Congresso do CDS no Palácio de Cristal, no Porto. Só depois de pressões estrangeiras, o Governo reagiu. A minha conclusão poderia ser a mesma do Conde de Mafra "foi o Governo"...

Nuno Castelo-Branco disse...

Que tempos idílicos...