segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A revolução devorando os seus filhos

Como refere aqui em baixo a cronologia do nosso Daniel Nunes Mateus, faz hoje oitenta e oito anos que os ímpetos revolucionários e a instabilidade política da república produziram um dos seus mais aberrantes acontecimentos; quando, ao mesmo tempo que o assassino de sidónio Pais era libertado da cadeia eram barbaramente assassinados António Granjo, Carlos da Maia, Freitas da Silva, Machado dos Santos e Botelho de Vasconcelos, naquela que ficou conhecida pela Noite Sangrenta, com o protagonismo dum obscuro cabo Abel Olímpio o "Dente de ouro" e a sua Camioneta fantasma (na imagem). Saiba mais aqui.

11 comentários:

João Amorim disse...

E é também isto que o presidente desta república vai comemorar. Quando eu vejo os "anti-fascistas" falarem da PIDE lembro-me logo destes episódios.

Nuno Castelo-Branco disse...

João, quanto ao presidente da rep., podemos ficar descansados: jamais ouviu falar no episódio!

NRC disse...

A chamada "Noite Sangrenta", como de resto, a maioria dos crimes "high-profile" em Portugal, não está bem esclarecida.

Na altura, durante o processo judicial apontou-se para uma vingança de alguns monárquicos exilados em Espanha, donde teria vindo o dinheiro para pagar aos assassinos.

Alguém tem fontes para outra versão? Grato pela atenção.

JSM disse...

A soltura do antepassado deste Costa da CML, o Júlio Costa, assassino de Sidónio Pais, é prova bastante sobre quem foram e quem são os donos desta república que temos. A mesma que o ex-presidente Soares tanto aprecia.
Mais provas?! Para quê?! Se sabemos como funciona a propaganda, a justiça, e como acabam os processos. Ainda não aprendemos com a Casa Pia?

João Amorim disse...

Caro NRC

Se tivessem sido só estas as vitimas das milícias carbonárias e republicanas podia-se hipoteticamente pensar numa "encomenda" mas olhando às centenas de mortes a "noite sangrenta" foi apenas mais uma.

NRC disse...

Eu concordo que a lista de crimes das máfias republicanas fala por si o bastante para serem suspeitos também da tal noite sangrenta; eu referia-me a uma perspectiva mais histórica, por que sei que houve um processo, uma confissão do tal Olímpio, além de muita tinta na imprensa da época. Não sei é se haverá um estudo mais actual e imparcial deste episódio. Obrigado pelas respostas.

Daniel Nunes Mateus disse...

Caro NRC: A minha cronologia têm como base forte, o livro do professor José Adelino Maltez. Tenho consultado vasta bibliografia e documentos, relativamente a este assunto, e pelos vistos, não encontro grande coisa. Mas, existiu carissimo. Existiu a noite sangrenta! É um facto que tentam apagar

NRC disse...

Caro Daniel,
agradeço-lhe desde já o esforço que tem feito com a Cronologia - sem dúvida, brilhante.
Quanto a fontes, posso adiantar que o mais que encontrei foi na História Contemporânea de Portugal, Primeira República, Tomo II - Amigos do Livro Editores; a qual gostava de compara com outras fontes - que, como diz, escasseiam. Mas a verdade, tal como o azeite na água, acaba por vir ao de cima. :D Cumps!

João Amorim disse...

Se repararem neste site: http://gremioestreladalva.blogspot.com/2008/10/da-madrugada-libertadora-noite.html
,da maçonaria, o cabo Olímpio, dente de ouro, é um "comando" a soldo dos monárquicos. O "herói" é o Machado Santos, que mandava matar e acabou morto pelos seus. Para a maçonaria a história é como um jogo da play-station, sempre a gingar....

Daniel Nunes Mateus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Nunes Mateus disse...

Caro NRC

Agradeco a sua amabilidade. E pelos vistos, tem a noção, que é um trabalho que demora o seu tempo, até ter bons resultados, historiograficamente correctos.

Cumps :)