sábado, 24 de julho de 2010

«Diário de Um Adolescente em 1910»


É mais uma pantominice deste inenarrável centenário republicano. Da autoria de Alice Vieira, vai no seu nº 28 e é um folhetim publicado aos domingos no Jornal de Notícias. Recomenda-se a sua leitura pela exacta razão de ser um bom indicador da ignorância e da demagogia deste regime que nos oprime, e se festeja por isso.
Atente-se neste pensamento do menino José Joaquim quando a mamã comenta os 18 contos de reis que custara um chapéu da Rainha D. Maria Pia (essa mesmo que no Porto fundou o hospital para crianças ainda hoje existente...):
«Para falar verdade, eu nem consigo imaginar o que sejam 18 contos de reis... Já os 60 reis que eu pago pelo "Texas Jack" no quiosque aqui em frente me parece uma fortuna... E oiço sempre o meu pai barafustar quando paga 80 reis pela onça de tabaco francês que fuma..
O "Texas Jack" a 60 reis, minha Senhora? Permita-me esclarecê-la. O "Texas Jack" custava 25 tostões, quando surgiu, já na última década da 2ª República. Nessa mesma, em que V. Ex.cia decerto se deliciava com a leitura da fotonovela "Corin Tellado"...
Haja respeito pela História. E pelas criancinhas, também.
Sobretudo pelos Josés Joaquins e outros adolescentes que em 1910 já escreviam o seu diário com tanto apuro. Parece que o Ensino até funcionava, então.

4 comentários:

Anónimo disse...

A matrona arrebenta com o miudo.
Deve ser da Liga Feminina


M. Figueira

bicho disse...

João, João, já a panfletária em questão pode confundir Reis com Tostões; o meu caro amigo é que não se pode esquecer que a Italiana Maria Pia gastava dinheiro como se não houvesse amanhã, o filho ainda teve problemas durante o rotativismo às contas com as dívidas e os famosos "adiantamentos à coroa" que a senhora sua mãe deixou.

O que safou o simpático Carlos I foi a Srª sua esposa que era ao que consta bastante poupada !

É que pelos vistos, a fortuna que D João VI digamos "sonegou" aos cofres do Brasil quanto regressou não durou muitas gerações...

João Afonso Machado disse...

O meu Amigo exagera. D. Maria Pia era italiana, com tudo o que isso pressupõe.
Mas não bastante para tirar ao Erário Público. Nem podia.
Por muito menos, os déspotas de hoje gastam muito mais.
E eu sei que V. sabe disso.

Ana Pinheiro disse...

Devo dizer que raramente entro neste tipo de discussões. Andava à procura de ver se conseguia o texto da Alice Vieira já informatizado e dei com o seu site, e com os comentários que, vai-me perdoar, não sei quem é e acho até que prefiro não saber, que são de uma ignorância sem qualificativo.
O texto é excelente, com uma perquisa muito bem feita, peca apenas por ser algo que só adultos (e informados, claro!)conseguem entender, porque os miúdos têm poucos conhecimentos da história portuguesa do tempo do constitucionalismo e da 1ª república; mas serve bem de introdução à mesma.
Tenha cuidado, eu sou bisneta de republicanos e sidonistas, mas em primeiro lugar professora de história. A ideologia não pode em momento nenhum ser um entrave ao conhecimento!