sexta-feira, 9 de julho de 2010

JOSÉ LUIS NUNES - fundador do PS


A partir de 1995, e durante alguns anos, coordenei o boletim «Monarquia do Norte», da Real Associação do Porto. Entre os mais temas, havia sempre lugar para a entrevista. Em Junho de 1996 coube a vez ao Dr. José Luis Nunes, advogado e fundador do Partido Socialista. Um Senhor que cativava pela sua extrema educação, e que infelizmente já não se encontra entre nós.
A primeira questão a que respondeu foi esta, aquando do nascimento do primogénito da Casa Real Portuguesa:
«Em sua opinião, que significado tem para Portugal o nascimento do Príncipe Dom Afonso
Disse o sempre lembrado Advogado:
«Em primeiro lugar, importa salientar o facto em si, e a felicidade que o evento trouxe à família Real, o que não deve ser secundarizado.
No plano institucional, é a continuação da Dinastia que fica garantida, pondo assim termo a quaisquer querelas».
Palavras simples de um português fiel ás suas convicções ideológicas que não confundia com opções de regime. E não temia revelar o seu pensamento.

14 comentários:

Rui Monteiro disse...

São poucos mas eles existiram e existem. Podia-me dar mais informação sobre este Senhor militante do PS Monárquico ?
Para publicar no blog Esquerda Monárquica ?

Obrigado
Militante do PS nº34045
Rui Monteiro

P.s. : o meu avô também era Portuense, monárquico e de esquerda

João Afonso Machado disse...

Caro Rui Monteiro:

Conheci o Dr. José Luis Nunes, de quem tenho as melhores recordações. Só tinhamos de comum sermos monárquicos - ele um homem de Esquerda, eu de Direita.
Tenho ainda uma entrevista dele que postarei neste blog, de forma a dar-lhe a máxima difusão.
V. «levará» para o seu blog, se quiser e com todo o meu apoio.
JLNunes foi deputado às Cosntituintes e nas 1ªs Legislaturas. Depois foi posto na prateleira e fizeram correr os mais torpes boatos sobre a sua vida pessoal.
Nesse sentido, os seus últimos anos de vida foram exclusivamente dedicados à advocacia e, pelo que me apercebi, muito carregados de tristeza.

Francisco RB disse...

Caro amigo, infelizmente existem várias pessoas que confundem a ideologia política ao regime político, por exemplo que acham que os socialistas e sociais-democratas têm que ser republicanos!!!

João Afonso Machado disse...

Pois é, caro Francisco. É isso que devemos desmascarar.

Rui Monteiro disse...

Com o objectivo declarado de desmascarar essas mentalidades foi criado algum tempo o Blog Esquerda Monárquica :

http://esquerdamonarquica.wordpress.com/

Não quer dizer que para se ser monárquico tem de se ser socialista, mas que há socialistas monárquicos e que não se afirmam por causa dos estigmas que existem essa é a verdade.

João Afonso Machado disse...

Caro Rui Monteiro:
Absolutamente de acordo consigo.
Sigo a ver o seu blog, com o maior interesse.

Filipa V. Jardim disse...

Muito interessante, trazer este tema a debate: o da monarquia e da esquerda.
Efectivamente, a monarquia não é apanágio de nenhum partido ou ideologia política. Pode ser-se monárquico e ser-se de esquerda. Como se pode ser monárquico e ser-se de direita.
Da mesma forma, conservadorismo também não é sinónimo de monarquia.
Existiu inclusive a corrente anarco-comunalista, contemplando a inexistência do poder do Estado e, a sociedade organizada em comunas, sendo a nação simbolizada no Rei.
O mesmo se pode dizer para religiões: Monarquia não é sinónimo de nenhuma religião.

João Afonso Machado disse...

Filipa:
Gostei tivesse recordado o anarco-comunalismo, essa corrente de pensamento que tinha tanto de utópico quanto de belez e pureza e era um discurso belissimo na voz de João Camossa.
Grande PPM desses tempos, que outros trouxeram para as ruas da amargura. Um partido onde havia de tudo, da esquerda á direita.
Mas para falar de João Camossa passo a palavra ao João Amorim, que o conheceu muito melhor...

Rui Monteiro disse...

Bem para o Realistas já arranjei uma biografia de José Luis Nunes, falta mesmo uma fotografia dele.

Nuno Castelo-Branco disse...

Que falta faz à sua antiga bancada parlamentar. Atitudes escabrosas "à Candal", como aquelas tomadas na moção do dia do Regicídio, contariam com a sua mais firme tomada de posição. Doesse a quem doesse.

João Afonso Machado disse...

Caro Rui Monteiro:

Dado o seu interesse, vou postar amanhã nova entrevista de JLN.
Se a minha tecnologia ajudar, sai com fotografia, que a tenho em publicação antiga.

João Afonso Machado disse...

Caro Nuno:
Absolutamente de acordo.
Não leve a mal que lhe diga - mas o blog tem sentido a sua falta.
(Se é que posso falar em nome do blog...).
Abraço.

Rui Monteiro disse...

Obrigado :)

João Amaral Nunes disse...

Caro João Afonso Machado:

Queria desde ja agradecer o facto de ter postado esta entrevista. Procurei durante bastante tempo entrevistas e acontecimentos em que o meu tio estivesse presente e muito raramente, apòs esgotantes pesquisas na internet, consegui encontrar alguma coisa. Como sobrinho orgulhoso que sou agradeço-lhe uma vez mais.
1 abraço!