domingo, 25 de janeiro de 2009

Exemplo de um Rei que nunca será igualado por um presidente

Estava eu a ler o livro "A Alma" de Manuel Alegre quando a certo ponto ele dizia que o pai dele admirava muito as monárquias nórdicas, principalmente porque quando os Nazis invadiram a Noruega e obrigaram os Judeus a colocar uma estrela de David na roupa ... o Rei Cristiano X. Haakon VI da Noruega no dia seguinte montou o cavalo com uma cruz de David na roupa.
Não estou a ver nenhum presidente a fazer isto, nunca vi um presidente a tomar uma posição tão extrema. Provavelmente se tal acontecesse cá ... fugia o prosidente da junta. D.Manuel II no dia 5 de Outubro de 1910 quiz montar o cavalo e comandar as tropas dando o exemplo mas sua mãe Rainha D.Amélia tendo já perdido um filho e um marido pediu para que não o fizesse.
São exemplos de coragem e não de cobardia que os Reis nos têm mostrado não só em Portugal, nem preciso de relembrar D.Juan Carlos que veio com o Exército e os Tanques para a a rua em 1983 quando da tentativa de golpe de estado fascista.

12 comentários:

Ricardo Ferreira disse...

O que fez o Rei Português quando Napoleão invadiu Portugal?

Câmara disse...

Mudou a capital para o Brasil e ganhou a guerra. Nas palavras do próprio Napoleão no exílio:

"C'est ça qui m'a perdu"

Ricardo Gomes da Silva disse...

nem mais!

Quanto a Presidentes republicanos é vê-los a dar corda aos sapatos.

Fico pasmo quando vejo esta malta (que não é republicana nem monarquica, mas apenas "adesivos") a criticar D. João VI e não ver o golpe de génio que foi impossibilitar os franceses de capturar o Rei...algo inédito em Toda a guerra.

Além de que os francese iriam tratar muito bem o Rei e este até podia morrer na viagem, o que até era vulgar na época...cobardia era ter ficado

bem haja

Rui Monteiro disse...

"O que fez o Rei Português quando Napoleão invadiu Portugal?"

Então meu caro ? Brasil ainda era território português. O Rei não foi para um país estrangeiro :)

Encontre algo melhor para contra-argumentar ok ? Boa Sorte

Nuno Castelo-Branco disse...

Perdoe-me a ousadia, Rui, mas o caso passou-se com o rei da Dinamarca Cristiano X. Haakon VI da Noruega e o príncipe real Olavo (futoro rei Olavo V), fizeram exactamente o que D. João VI fez. Impediram que a soberania caísse nas mãos do invasor.

A Wikipedia diz o seguinte: "The first German attack on Amalienborg was repulsed, giving Christian X and his ministers time to confer with the Danish Army chief General Prior. As the discussions were ongoing, several formations of Heinkel 111 and Dornier 17 bombers roared over the city dropping leaflets. Faced with the explicit threat of the Luftwaffe bombing the civilian population of Copenhagen, and only General Prior in favour of continuing to fight, the Danish government capitulated in exchange for retaining political independence in domestic matters.".

A Haakon VI, acrescentemos Pedro II da Jugoslávia, a rainha Guilhermina da Holanda e o rei Jorge II da Grécia. E não foram para qualquer território pertencente ao país, mas sim para o estrangeiro: tornaram-se hóspedes da Inglaterra. O caso D. João VI, "apenas" salvou a independência portuguesa e a futura ascensão do Brasil como Império com adimensão territorial que ainda hoje tem. Grande diferença!
Aqui, Napoleão não conseguiu nem a família real, nem o Tesouro Nacional, nem a esquadra.

Nuno Castelo-Branco disse...

... dizia, futuro e não futoro... :)

Ricardo Ferreira disse...

Existe sempre uma maneira de fugir à realidade.

Agora dizem que o Rei não fugiu... mudou a capital. É uma boa maneira de dizer que figiu, sem o dizerem...

Ou que naquele tempo o Brasil era Portugal... já parecem aqueles que dizem que Portugal não é um país pequeno... coitaditos...

Nuno Castelo-Branco disse...

Coitaditos?! E então o Brasil não se tornou independente em 1822? Até lá era o quê? Tonga? Burkina Faso? Suco? Francês? Inglês? Cure-se... e deixe de ter vergonha de ser português, só lhe fica mal!

Câmara disse...

"Ou que naquele tempo o Brasil era Portugal... já parecem aqueles que dizem que Portugal não é um país pequeno... coitaditos..."

Nem tenho comentários para isto! Deve ser daqueles que rejubilou quando Portugal reconheceu a invasão da Índia Portuguesa pela União Indiana!

E Portugal não é um país pequeno, quando (quando...) se começar a colonizar o mar veremos para que serve a nossa zona económica exclusiva "pequena"...

"Agora dizem que o Rei não fugiu... mudou a capital. É uma boa maneira de dizer que figiu, sem o dizerem..."

Sim, ele fugiu, é um facto. Num entanto esta fuga foi um brilhante movimento táctico que permitiu manter a soberania de Portugal.

Rui Monteiro disse...

Já corrigi o nome mas não deixa de ser um acto de heroísmo.

Maquiavel disse...

O Tito da Jugoslávia, que nem era presidente nem rei, lutou com quantas forças tinha contra o invasor. Outros reis até apoiaram o Hitler. Exemplos? Querem enganar quem? Só a vós próprios!

Olha o Napoleäo de que falam, muito republicano, de quando se proclamou imperador, passou a ser mais ou menos democrático? Parece-me que foi cada vez MENOS democrático!

Rui Monteiro disse...

pois mas napoleão era republicano só que tinha a mania que era rei como muitos presidentes por aí :)d