terça-feira, 13 de janeiro de 2009

A recorrência demagógica republicana



Em resposta ao artigo de André Couto:

Rico artigo de imprensa cor de rosa, até parece que a república fez muito. De 1910 a 1926 existiu uma autêntica guerra civil, a Europa já nem ligava a Portugal por este ser um país associado ao descalabro e à balburdia ao ponto de que teriam criado um termo para definir balburdia "Portugalisê". Mas afinal não há mais do que a morte de D.Sebastião e o Ultimato Inglês para apontar à monarquia ? Acho muito pouco para 700 anos de monarquia mas no entanto temos bastantes e graves para apontar à República em 100 anos.
- A economia caiu a pique de 1910 a 1926 ao ponto de ser preciso colocar o professor de Coimbra lá.
- Tivemos presidentes da república assassinados como Sidónio Pais que até tinha sido o primeiro eleito por sufrágio universal
- Tivemos de 1926 a 1974 uma ditadura de Direita, a 2ª República com grandes figuras da República como Oscar Carmona
- Tivemos a 1ª Grande Guerra com milhares de Soldados portugueses mortos só para ganhar o prestígio perdido com a perda da monarquia e afinal ... "portugalisê" ..."portugalisê"
- Aqui volto a dizer ficámos com a bandeira europeia mais feia, já nem digo que tem as cores do 3º Mundo
- Alguém hoje diz-se republicano ? epá só os netos de carbonários ... no geral a população é indiferente.
Mas voltando aos aspectos referidos no brilhante artigo ... D.Sebastião ? Como é que podem comparar a monarquia so séc- XV com a república ? Seria mais justo comparar a Monarquia Constitucional ! Sim porque se houve alguém que criou as bases de um sistema Constitucional e Democrático em Portugal foi a Monarquia a partir de 1828. E agora o Ultimato Inglês, só um anti-patriota que se preocupa com os seus dividendos políticos e não com o bem estar do seu Povo alguma vez iria declarar Guerra com a maior potência militar do Séc. XIX ... a Inglaterra. Não nos esqueçamos de que quando o ultimato foi entregue estavam vasos de guerra ingleses em águas portuguesas prontos para bombardear Lisboa caso fosse negativo.
Viva os patriotas de meia tigela ... aqueles que fizeram com que hoje a maioria das pessoas só gostem da bandeira deles para apoiar a selecção de futebol ... porque não há mais nada para apoiar.
Será que a republica é assim tão impoluta ?

4 comentários:

daniel disse...

Não sei o que entende por imparcialidade, mas fica sempre bem. Não considero uma só palavra deste texto como uma fonte histórica fidedigna. Para o centenário da República nada melhor do que um documento historiográfico fiel aos factos, e não mera propaganda anti-republicana da pior qualidade.
Estamos no século XXI, o povo, "arraia-miúda", perdeu a fé em ideologias; o senhor não admite essa mudança? Pois tem má consciência, e não sabe que não é criticando a república ou sonhando com a ascensão da monarquia que os problemas nacionais se resolverão. Qualquer cidadão, antes de ser republicano ou monárquico, é em primeiro lugar português. O senhor sabe o que significa "ser português?" ou está mais preocupado com as "cores da bandeira nacional" do que propriamente com o país?
Admito que existiram grandes reis na monarquia, assim como existiram grandes Presidentes na república. Cada um teve o sue tempo! Canto e Castro, um dos presidentes da "Primeira República" era monárquico, Sidónio Pais também simpatizava com as monarquias, tanto que lhe chamaram o "Presidente-Rei".
Agora, os tempos são outros! Apresente a história tal como ela ocorreu, e deixe-se de meias medidas e segundas intenções. Ditaduras, reis, presidentes, democracias, vão sempre existir, cada qual teve e terá a sua ascensão, o seu apogeu e a sua queda. Mas para que o povo, os jovens e cada cidadão perceba o "porquê", tem primeiro de conhecer o seu passado, a sua história, tal como ela ocorreu... e não seguir mera propaganda da pior espécie.
O senhor, com esse texto “propagandístico” de quem deseje alterar a história, não faz maior trabalho do que os ditadores, os Salazaristas do Estado Novo.
E coloco-lhe a questão: Você crê que a reimplantação da monarquia, traria uma melhoria nas vidas de cada português? Mudaria a forma de vida de cada cidadão?
Não me venha com conversa fiada... apresente a história como ela "é" de facto!

Rui Monteiro disse...

"Cada um teve o sue tempo! Canto e Castro, um dos presidentes da "Primeira República" era monárquico, Sidónio Pais também simpatizava com as monarquias, tanto que lhe chamaram o "Presidente-Rei".

Qual é a sua doença ? Sidónio País era republicano puro desde estudante que acreditou no 5 de Outubro !

Daniel ... tanta palha e tão poucos factos lol não tem mais nada para contra-argumentar ?
Ande lá faça um esforço :)

daniel disse...

Uma vez que o Senhor apontou os meus erros, permita-me a ousadia de ser mais directo e enumerar os seus:

primeiro: “- Aqui volto a dizer ficámos com a bandeira europeia mais feia, já nem digo que tem as cores do 3º Mundo”;

R.: Não constitui um erro, mas um disparate. LOL. Bem, comparar a bandeira da república ao dos países de terceiro mundo não cabe a nenhum historiador. Mas o Senhor como propagandista faz um bom trabalho;

Segundo: “- Alguém hoje diz-se republicano ? epá só os netos de carbonários ... no geral a população é indiferente.”

- É a sua opinião? Você já inquiriu a população sobre o que pensa acerca da questão: monarquia ou república? Elaborou um senso geral à população? Se sim, pode compartilhá-lo connosco? =)

A "Monarquia Constitucional" foi um período histórico como qualquer outro: teve os seus altos e baixos. Para quê mistificar? Para quê criar autênticas falácias nesta ciência que é a história? Sei que defende a Monarquia, mas é desnecessário esse tipo de propaganda. De resto uso as palavras que escrevi no artigo anterior.

O regime republicano teve os seus excessos, confesso. E o monárquico também. Não podemos criar uma áurea de santidade em torno de ambos os regimes. Li vários artigos de cariz “Republicano” tão propagandísticos quanto este (que é monárquico), e não me agradou. Tudo tem de ter o seu limite.

E o “Estado Novo” foi considerado por muito republicanos como “o fracasso da república”. Apesar de muitos outros (como o senhor aliás comentou em relação ao Carmona) terem apoiado este regime. Mas não se esqueça de todos aqueles que lutaram contra o Salazarismo em nome da democracia: quer fossem republicanos ou monárquicos, de esquerda ou de direita.


Lembre-se: Imparcialidade na História, para quê reescrever o que já foi escrito?


P.S.: Existem artigos no seu blog que merecem os meus parabéns.

Rui Monteiro disse...

primeiro: “- Aqui volto a dizer ficámos com a bandeira europeia mais feia, já nem digo que tem as cores do 3º Mundo”;

R.: Não constitui um erro, mas um disparate. LOL. Bem, comparar a bandeira da república ao dos países de terceiro mundo não cabe a nenhum historiador. Mas o Senhor como propagandista faz um bom trabalho;

Antes demais explique-me onde há mais países com as cores verdes e vermelhas ? Na Ásia e nos países de 3º mundo, é uma constatação.

""Segundo: “- Alguém hoje diz-se republicano ? epá só os netos de carbonários ... no geral a população é indiferente.”

- É a sua opinião? Você já inquiriu a população sobre o que pensa acerca da questão: monarquia ou república? Elaborou um senso geral à população? Se sim, pode compartilhá-lo connosco? =)""

Você ou não leu ou então ... caso não saiba há um ano fizeram-se sondagens nos jornais e só 7% disse que era republicano convicto.
Em 2002 o CESOP fez um estudo estatístico onde 30% da população à partida é Monárquica ... por isso meu caro não ande iludido.


E o “Estado Novo” foi considerado por muito republicanos como “o fracasso da república”. Apesar de muitos outros (como o senhor aliás comentou em relação ao Carmona) terem apoiado este regime. Mas não se esqueça de todos aqueles que lutaram contra o Salazarismo em nome da democracia: quer fossem republicanos ou monárquicos, de esquerda ou de direita

-> Meu caro normalmente apontam os monárquicos como sendo de direita e que no Estado Novo apoiaram Salazar ... houve de tudo a apoiar Salazar assim como houve de tudo contra ele. Ninguém é santo.

Obrigado pelo elogio ao meu blogue, embora não saiba a qual se está a referir ... tenho vários.