quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Portugal á beira do caos



Confrontos entre grupos de jovens originaram cena de justiça popular em Alhos Vedros



noticia aqui

Alhos Vedros, na margem sul do Tejo em Lisboa, foi palco de confrontos entre grupos de jovens que causaram três feridos sem gravidade e levaram à detenção de 13 pessoas pela GNR, com idades entre 16 e 20 anos. A população local terá apanhado um dos jovens, que agrediu até à chegada das autoridades.

“Em consequência dos confrontos, em que foram usados tacos de basebol com o intuito de agredir, 13 jovens foram levados para o posto de polícia da Moita”, disse o major da GNR Duarte Jacinto, ouvido pela RTP. “Aí os jovens foram apenas identificados mas saíram em liberdade.”

Um dos agressores foi apanhado no local por populares, que o agrediram a pontapé, tendo sido resgatado cinco minutos depois pela GNR, que o deteve.

Um homem cuja propriedade foi invadida foi buscar a caçadeira e terá atirado contra os rapazes, mas acrescenta que não é ainda certa a origem dos disparos.

Poucos dias após o aumento da criminalidade juvenil vir a público como um problema crescente e já com ligações sérias ao crime organizado, facto inédito em Portugal
«Serão centenas os jovens que vieram das favelas brasileiras para a Margem Sul de Lisboa e criaram o Primeiro Comando de Portugal (PCP). Não têm documentos mas sim cadastro e as autoridades acreditam estarem por trás de actos de violência»

Máfia das favelas entra em Portugal

«Apontou a arma aos lojistas de Odivelas, de Carnaxide ou do Dafundo para roubar plasmas, portáteis, ténis, blusões, fios, anéis de ouro e tudo o que os mais velhos do bairro já tinham. "Só da primeira vez é que tive medo", conta. Mas esteve sempre amparado pelos veteranos. A partir daí "foi sempre a abrir". Rola teve sorte. A "bófia" nunca chegou perto dele»

Estado Português incapaz de conter criminalidade organizada, até entre os jovens

Num cenário de crescente caos social ,Portugal repete os erros do regime que vigorou entre 1910 e 1926,

Photobucket
caos nas ruas de Lisboa, em 1911



onde de um momento para o outro as ruas foram tomadas de assalto por bandos armados.A crescente falência do Estado como garante do direito, da estabilidade e paz interna surge cada vez mais como um facto consumado aos olhos da população.

fonte:
Somos Portugueses

12 comentários:

FMS disse...

Nada a fazer, apenas deixar arder.

Anónimo disse...

aguentem-se porque a multiculturalidade veio para ficar . a nao ser que votem no pnr !

Ricardo Gomes da Silva disse...

Não me parece que um partido possa mudar o quer que seja.

Até os paises com os regimes mais autoritários cairam no caos quando o "lider" morreu.O problema base está no regime que faz a Nação andar ao sabor de tempestades de incompetência, de 4 em 4 anos.

Até o povo mais sábio, forte e competente quebra na incapacidade do seu sistema governativo.

O que aqui se passa é que um vasto espectro da população jovem chegou á conclusão de que "o crime compensa"...fruto de toda a demagogia pedante e liberal que retirou aquilo que de mais precioso existe na motivação das novas gerações.
A vontade de ser melhor do que a geração anterior e a certeza de que a honestidade e rectidão de carácter valem mais do que uns ténis da Nike

Em suma um objectivo de vida

Sem objectivos não há projectos e sem estes não compensa trabalhar

bem haja

bem haja

space_aye disse...

É incrivel o oportunismo dos monarquicos deste blog.
Só faltava darem o exemplo do Carolina Michaelis para compararem ao que aconteceu na República.
Enfim não tenho palavras.
Se calhar o senhor que disse algo mais acertado foi o que disse que era melhor votar no PNR.
Entre a estupidez do post e a estupidez do comentário...
Isto é extrema direita mesmo, quer de um quer de outro!

space_aye disse...

PS: Quando eu era pequeno também tinha uma faca igual a essa do puto da imagem. É bem perigosa.

estreia_a_virgem disse...

Este post é bem pior que o Correio da Manhã todo espremido.

Ricardo Gomes da Silva:
Prefere andar ao sabor de tempestades de incompetência de 40 em 40 anos?

space_aye:
Apoiado!

Ricardo Gomes da Silva disse...

não seja por isso..a I República só durou 16 anos e teve mais governos do que os restantes 800 anos..e questão de resumo a Republica ganha aos pontos..em apenas 16 anos resumiu tudo o que de mau pode acontecer a um País

Em menos de 100 anos a Republica já teve 3 versões, quase a média de um Executivo por ano (governo)e conseguiu a proeza de transformar um Império num rectângulo sem futuro...sem dinheiro oriundo de uma qualquer pilhagem, alienação de território ou subjugação a um qualquer bloco a República não passa de uma estátua oca de uma mulher que á falta de bens e suporte vende apenas aquilo que tem...o próprio corpo

O Caro estreia a virgem , se é jovem, sabe muito bem que as perspectivas de futuro não existem ou resumem-se a um emprego precário e mal pago..é esse o futuro que quer ou que lhe impingiram com balelas?

Temos a juventude e as gerações anteriores a emigrar para paises monarquicos..porque se ganha e vive melhor !!!..e depois vêm para aqui dizer o contrário?

Venham então do Luxemburgo ou Holanda e UK para Portugal todos os emigrantes e depois sempre quero ver quais são as soluções da Magna Republica..que fala fala mas não faz nada a não ser por no prego aquilo que tem em casa

bem haja

space_aye disse...

O maior numero de imigrantes portugueses está nos EUA, Brasil e França.
3 paises republicanos.
So dizes disparates ó reizinho.
Cada vez te enterras mais.
É que tu so contaste os do Luxemburgo e da Holanda, meros paises com uma considervel comunidade portuguesa, eu contei apenas os paises onde ha mais portugueses, mas podia ter contado outros paises republicanos onde tambem ha portugueses, mas nem sequer foi preciso.
Quanto a essa de criticar a figura feminina so pode significar duas coisas:
Ou és padreco ou és gay.
Mas eu inclino-me mais para as duas.

estreia_a_virgem disse...

Caro ricardo gomes da silva,

Esqueceu-se ainda dos nossos compatriotas na Suíça, na Venezuela ou na África do Sul. Tudo países monárquicos, não?

Não sei muito bem o futuro que me espera, mas sei o que esperaria à maioria dos cidadãos numa monarquia: era o de súbdito.

Esse dispenso.

Ricardo Gomes da Silva disse...

Em monarquia até podemos ser súbditos, mas em republica não passamos de escravos..vem um qualquer dita a lei que quer e depois ou cumprimos ou ficamos literalmente sem nada.
mas se calhar vocés até gostam de ser escravos...se até o Brasil é melhor para ganhar a vida do que cá

Quanto á emigração falo das camadas jovens...hoje ninguém emigra para o Brasil, Africa do Sul ou venezuela...esse tipo de emigração é de uma geração anterior
Mas se eu quisesse utilizar os mesmos argumentos baratos dizia que a maioria da emigração lusa para o Brasil ocorreu quando este pais era monarquico...mas isso não é relevante
O que interessa é o que acontece actualmente,Os jovens emigram para os paises mais desenvolvidos ..entre os quais os EUA, certo!..mas em grande parte dos casos é para monarquias, o que significa que o modelo é viável, actual e melhor que o nosso

Grande Liberdade, não haja dúvida

O Presidente da Republica é tão relevante que o ministro das obras publicas até adormeceu no 5 de Outubro

Quanto ao cometário de Gay e padreco etc etc etc...Durante a I republica a condição da mulher desceu tanto que as moças que vinham para Lisboa só tinham dois destinos...fome ou prostituição

Citando o caro Estreia_a _virgem, também não sei o futuro, mas de certeza que não gostaria que o futuro reservasse ás nossas mães, irmãs e filhas o mesmo destino dessa época,onde a mulher se resumia a um objecto sexual,para usar abusar e deitar fora, como bem o prova o triste comentário do space_heill...que tão republicano se acha.

bem haja

space_aye disse...

no Brasil é melhor para ganhar a vida do que cá?
Comentário infeliz, falso e anti-patriotico.

Durante a I republica a condição da mulher desceu tanto que as moças que vinham para Lisboa só tinham dois destinos...fome ou prostituição?
Mais um comentário infeliz e cheio de falsidade. Qalquer historiador, monarquico ou republicano regeiraria esta afirmação estupida.
Quanto á figura feminina comento da seguinte maneira:
A figura feminina, que representa a República, demonstra o respeito que os republicanos tinham pela mulher ao ponto de não fazerem como a igreja, que ignorava o seu papel e venerava um deus masculnino e chamava á sua amante, uma mulher, de simples prostituta por quem Jesus teve apenas piedade.
Claro que olhando para a figura da República, uma senhora com os seios de fora, so lhes pode lembrar uma coisa, aquilo que pensam da mulher:
Pecadora e prostituta.
A República era uma prostituta! É o que pensam estes monarquicos catolicos.
Bem haja fachizoide.

Ricardo Gomes da Silva disse...

«no Brasil é melhor para ganhar a vida do que cá?
Comentário infeliz, falso e anti-patriotico.»
leu mal o que eu disse...quanto ao anti-patriotismo...não será a Republica verdadeiramente merecedora de uma punição por parte da História?...atirar um pais inteiro para o fundo do abismo social não é anti-patriotico ,não senhor...é crime!

quanto ao "Qalquer historiador, monarquico ou republicano regeiraria esta afirmação estupida"

Bom se isso fosse de facto verdade este blogue nem existiria...de facto as mulheres foram muito mal tratadas, em Lisboa chegavam a morrer com os filhos mortos de fome nos braços..mas não pense que falo por falar porque ainda aqui hei-de por um post (uma reportagem da época) bastante elucidativo sobre isso.

Quanto aos tristes comentários sobre o catolicismo...enfim a ignorância é uma coisa muito democrática.

bem haja