quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Tanta ética até faz mal!

Baptista-Bastos, dono de uma gramática escorreita e de uma pena aprumada, escorrega bastas vezes nos degraus da lógica. São já poucos os que se deixam impressionar pela estafada "ética republicana". Mas, de quando em vez, lá aparece uma mente esmaltada a debitar desvarios que não se tornam verdadeiros, por mil vezes que sejam repetidos. Um dos dislates preferidos é a adjectivação da ética. Porque há, pelo menos por trás da testa de alguns mamíferos, uma ética republicana, acreditando eles que no mundo em que respiram nenhuma outra é possível. E enchem os pulmões com ela, crentes na pureza do despautério.
A matriz ética da República de que fala o Baptista-Bastos é aquela que animava o Raúl Rego que, mesmo algaliado, se arrastou até ao parlamento para votar uma jacobinice qualquer (o aborto, acho eu). O desassossego dos dezasseis anos que durou o novo regime (sim, porque o Estado Novo, tanto quanto conseguem descortinar estas criaturas, era outra coisa que não república...) foi fruto do estrépito revolucionário de um punhado de talassas, claro está. Não era a ética republicana que instigava a que se matassem uns aos outros, como não era a ética republicana que fazia com que se derrubassem governos atrás de governos. Também não seria a ética republicana, nisto estou certo, a impor a bancarrota do Estado. Mas os da ética republicana, e seguramente por ela, morreram pobres. Como Salazar, diria eu.

12 comentários:

João Távora disse...

Grande Nuno!

space_aye disse...

Olha aqui o nosso velho amigo católico conservador e monárquico!
Finalmente deu a cara e deu uma pequan opinião! (opinião previsivel, como é lógico).

Bem, relativamente ao post em si:
Diria que a bancarrota não existiu durante toda a República, no entanto durante todo o reinado de D Carlos e D Manuel a bancarrota existe.
Afonso Costa equilibrou as finanças no ano económico de 1913-1914 conseguindo transformar aquilo que eram nem mais nem menos do que 8.464.139$00 de défice em 978.887$50 de saldo positivo.
Mas não se ficou por aqui!
Em 1914-1915 estes saldo já positivo aumentou para 3.392.764$72. Esta situação só se veio a agravar radicalmente no começo da 1ª guerra mundial e quando Costa já não estava no governo.
As despesas que provocaram o retrocesso económico devem-se sobretudo á revolução de 14 de Maio de 1915, á má administração de Pimenta de Castro e ás despesas da guerra.

Quero também dizer que aquilo que Salazar conseguiu em 40 anos conseguiria Costa o dobro se tivesse estado tantos anos no poder. Mas em vez disso ficou apenas 1 ano no governo e conseguiu este superavit!

Rui Monteiro disse...

Sim o grande Afonso Costa que desprezava as mulheres mas isso é uma conversa que ainda aqui vai ser falada ... aguarda space

Quanto ao que foi escrito é pura verdade aliás não sei qual é o problema de ser católico e monárquico também podes acrescentar que o sou mas com ma noance ... sou militante do PS e com orgulho por estar bem acompanhado.
Quanto à economia LOL não é preciso dizer muito porque praticamente tudo foi dito pelo Ricardo Silva nos post's que publiquei. Curioso é os tiques dos republicas que teimam em afirmar categóricamente que a culpa era dos Reis ... oh man e a Formiga Branca sabes o que é isso ? vais fugir com o rabo à ceringa ? Afonso Costa era a Besta do Costa para muitos e sempre o será, mandou matar mais gente do que as pessoas que morreram durante o Estado Novo no Tarrafal, Salazar não era Santo mas pelo menos não o escondia na sua política cobarde.

Rui Monteiro disse...

Esqueci-me :

"Quero também dizer que aquilo que Salazar conseguiu em 40 anos conseguiria Costa o dobro se tivesse estado tantos anos no poder. Mas em vez disso ficou apenas 1 ano no governo e conseguiu este superavit!"

Pois claro conseguia o dobro das MORTES !!!! mas isso acho que já o fez

Ricardo Gomes da Silva disse...

Esse Baptista-Bastos nunca disse nada de jeito e ainda por cima acha que o mundo se resolve a pontapé...claro que actualmente ele já não diz isso, pois está velhote

E dos tais que é "do contra"

bem haja

Zé Pikeno! disse...

Quer me parecer que o sapce_ass...é monárquico...mas como ainda não é moda...
está só à espera do momento...
como os "adesivos" da 1ªrepublika...
aliás...o exemplo máximo de uma pessoa integra...a besta do costa...parece ser o "senhor" referencia para tal sujeito.
Quando ultrapassar a questão invejosa
torna-se um bom homem.

space_aye disse...

Rui Monteiro:

Se és militante do PS então és a vergonha do partido, porque o PS é talvez o partido mais republicano de Portugal.
Isso provou-se á pouco tempo na questão do aprovar ou não aprovar a proposta dos monarquicos do 1 de Fevereiro passar a ser feriado.
O PS votou contra e disse que tal proposta era um acto contra a República.
Mas a direita queria aprovar.
Talvez se tenha enganado no partido, o partido para a qual deveria entrar só tinha mais um "D", falhou mas por pouco.

Mas quais mortes qual quê? Fechar jornais catolicos e monarquicos á força não implica tirar vidas. Já estas ai a inventar.
A formiga branca era apenas uma forma de fazer a revolução.
Hove também a formiga preta de Sidónio Pais e dos mais conservadores.
Não pode nem de longe nem de perto comparar os grupos carbonários á PIDE.

Zé labrego:
Não podia ser monarquico porque para que isso estivessse na moda era preciso que este mundo estivesse num caos complecto ou então que as pessoas tivessem virado macacos devido a alguma esperiência de laboratório que tivesse corrido mal.
Já o sr. Zé labrego é capaz de ser mesmo republicano, só que como gosta de contrariar...decidiu criar uma nova "moda" que não está a aderir não saber porquê.
Mas talvez o que disse umas linhas mais acima o ajude a perceber porquê.

JSM disse...

Bom postal, bem dirigido aos proprietários da ética, que não pagam imposto por isso, mas deviam pagar.
Baptista-Bastos, enfim... é do Belenenses, ou era, e o esforço da fidelidade merece elogio. Mas é hoje um 'desenganado', como se diz no nordeste transmontano.
Ele sabe que o problema não era a monarquia porque o verdadeiro e único defensor da república é o Rei.
Saudações monárquicas

Rui Monteiro disse...

Olha Space continua o teu esforço inglório de justificar o injustificável. Continua a votar no burgês filho do Comandante de Fragata que apontou os canhões para a Praça do Comércio no dia 25 de Abril de 1974 e ameaçou matar Salgueiro Maia e os seus bravos ... sim o Francisco Louçã é filho desta Besta. Mais um que nunca soube o que é a fome e anda a atirar areia para os olhos dos portugueses ...
Ah e o Rosas aquele lindo historiador filho de um Ministro Fascista do Estado Novo...
Lindos exemplos de família não dirá ?

João Pedro disse...

«A formiga branca era apenas uma forma de fazer a revolução.

Não pode nem de longe nem de perto comparar os grupos carbonários á PIDE.»

Ou não sabe o que diz ou mente conscientemente: a formiga Branca era uma polícia política com a missão de espancar os inimigos políticos, "empastelar" os jornais que não fizessem a propaganda republicana e de matar, se fosse preciso, como aconteceu a vários clérigos. Aliás, não por acaso vários elementos da formiga Branca foram mais tarde engrossar a Pide...

E não me faça rir com o saneamento financeirto do Costa, à custa da expropriação de bens do clero, de impostos altíssimos e de contas feitas à pressa. Se alguém levou Portugal à Guerra, onde milhares de desgraçados perderam a vida em La Lys, tratou-se exactamente de Afonso Costa e os seus equazes, e para quê? Para "defende o prestígio da República".

O facto de achar que é uma "vergonha" alguém do PS ser monárquic mostra bem como representa o espírito desse regime de terroristas: intolerância, desonestidade intelectual, terrorismo verbal e demagogia.

Rui Monteiro disse...

Claro que ser do PS e ser monárquico doí a quem pensa que as esquerda nasceu depois de 1910 e mais propriamente depois de 1974. Então meu caro fique sabendo que o fundador do pensamento Socialista em Portugal de seu nome Antero de Quental era Anti-Repúblicano, aliás os republicas como não têm muitas figuras de proa na sua génese gostam de usurpar o que não é deles : Paços Manuel, José Estevão , Marquês de Pombal, etc,etc,etc ...
Puro fruto do vazio ideológico que sempre foi produzido pelos Micróbios.

space_aye disse...

O facto de Louçã ou Rosas serem filhos de gajos muito anormais e fachizoides não quer dizer que eles sehjam iguais.
Isso é um perconceito de familia tão estúpido que so poderia vir de um monárquico.
Alguém que dá tanta importância ás linhagens.
Vai á missa rezar!