sexta-feira, 2 de abril de 2010

Boas Novas



Já não era sem tempo. Pena devem ter os homens do avental com a saída do palco deste partisan déguisé.

8 comentários:

Francisco RB disse...

Lá se foi a pretensão ao torno, quero dizer trono do fadista Câmara Pereira...

João Afonso Machado disse...

Ouvi a notícia. Respirei de alívio. Saí do PPM há muito tempo, por isso, falo sem interesses partidários. Apenas pelo mal-estar que o fadista me causava.
Desejemos-lhe muita ocupação e sucesso em qualquer novo restaurante que venha a abrir.

Anónimo disse...

Uma organização monárquica dirigida por um maçon republicano. Nunca se viu.

M. Figueira

cristina ribeiro disse...

Bem que dizia que era gastar tempo e energia com um fulano desses; deu-se demasiada importância a quem se nitidamente se pôs em bicos de pés...

João Afonso Machado disse...

Senhora D. Cristina:

Eu creio que as coisas não são bem assim. Na verdade, a persistência do PPM é, actualmente, de utilidade muito duvidosa.
O que aconteceu foi que no tempo de Santana Lopes quis-se reeditar o espírito da velha AD... e o nosso fadista aproveitou. Depois são aqueles epísódios de que nem vamos falar sobre a legitimidade do nosso Rei e, finalmente, novas eleições. Aí vai ele borda fora na AR. E agora? Que fazer? Para quê o PPM?
Quer apostar que não tarda aí uma nova adesão ao PSD?
Enquanto esperamos, uma boa Páscoa para si e para os seus.

Daniel Nunes Mateus disse...

Lamento dizer-lhes isto mas o PPM desprestigia a própria instituição real. E isto vêm do feedback que tenho em confrontos com ateus da política

Gi disse...

Hoje descobri num cartaz que passará a cantar regularmente num restaurante perto de mim. Valerá a pena confrontá-lo?

Daniel Nunes Mateus disse...

Cara Gi: Só se for para desafiá-lo para uma desgarrada.