domingo, 9 de maio de 2010

Centenário da República: os malabarismos da propaganda, ou uma mentira mil vezes repetida

Com uma simples pesquisa no google para as palavras “Cronologia da República”, verifica-se como enquanto a Plataforma do Centenário apresenta e analisa os factos subsequentes à implantação da mesma, o site oficial expõe alguns faits divers criteriosamente escolhidos relativos aos anos precedentes da revolução, que o mais das vezes revelam um regime tolerante e democrático. O mesmo acontece com os temas das diversas rubricas radiofónicas que tenho ouvido aleatoriamente nalgumas estações reverentes ao regime como a TSF e a Antena 1. Este desplante não é de espantar, tais foram as trágicas consequências da dita revolução que ninguém com um mínimo de honestidade pode negar, e que só alguém com má fé se poderia orgulhar. De resto vale tudo para promover a confusão entre os ideais de 1826 e as intenções jamais cumpridas pelos republicanos de 1910. Como um dia vaticinou Eça de Queiroz: O Partido Republicano em Portugal nunca apresentou um programa, nem verdadeiramente tem um programa. Mais ainda, nem o pode ter: porque todas as reformas que, como Partido Republicano, lhe cumpriria reclamar já foram realizadas pelo liberalismo monárquico. (…) A república não pode deixar de inquietar o espírito de todos os patriotas.

Na imagem: efeitos do empastelamento do jornal "A Nação" ocorrido a 21 de Outubro de 1913

6 comentários:

bicho disse...

Caro João, no fundo foi um caminho evolutivo que se fez com os seus altos e baixos. Se do Vintismo evoluímos para a carta, se da carta evoluímos para a república, se pelo meio tivemos os ditadores e trauliteiros que a gente conhece isso agora é tema dos livros que merece ser debatido e estudado, pelo menos para se não cair nas mesmas armadilhas.

Não posso de deixar de dar uma achega, todos os ditadores e trauliteiros que por cá apareceram foram a seu tempo desejados por uma maioria enganada ou não, pelo meio há sempre um denominador comum, a miséria, ou provinda das invasões de Junot, ou das guerras liberais, ou das reformas dos cabrais, ou dos gastos da coroa, ou da formiga e da carbonária na rua, ou da guerra mundial...

Casa onde não há pão...

Ega disse...

Ega:
Por vezes faço umas incursoes no Almanaque Republicano,aqui ao lado.
Deixo lá uns "Viva o Rei" e faço algumas pertinentes erguntas, na vã esperança de que alguém me responda.
Não respondem. E dizem-me que não sou bem vindo. Razão tinha o Padre Serafim, e aqueles senhores não há de ser em minha casa que comem os bons petiscos de Basto.

Muito pior ainda é a vegonhosa campanha dominical no Jornal de Notícias, de enorme tiragem. Verdadeira intoxicação para criancinhas sobretudo quando são «estórias» contadas por um tal Laijinhas. Umas imitações do meu biografo, mas de cassete pirata para baixo. Até um chinês fazia melhor

bicho disse...

Caro amigo.

Também lá "cheiro" de quando em vez, mas aquilo é mais um "cartaz" que um sítio de opinião, e depois é tudo em Lisboa... Sabe como é !

Quanto ao Padre Serafim, com "doze anos de vinhos e águas ardentes...", com essa vida de marialva que o meu amigo levou lá em Celorico na "casa da mamã" despertou a ira dos santinhos todos lá no altar...

Bem que lhe fez a sua "cura" lá no "sanatório" da Foz e ainda por cima com a recheada bolsa da mamã...

Quanto ao resto nunca ouvi, mal de mim andar aos domingos a sintonizar o rádio para tentar descobrir a formula da pólvora, os tipos já passam aquilo ao Domingo e deve ser mesmo para ninguém ouvir. Propaganda jacobina certamente, ainda devem de estar à espera do "amanhã que há-de vir" como esperava o outro que fugiu de Peniche para Moscovo.

Um abraço.

bicho disse...

Ops, estava você a falar do Notícias e eu a falar da TSF...

Mil perdões caro amigo.

Ega disse...

Meu caro TSF nem oiço. Ligo para a M80 e oiço as modinhas de Basto. Do tempo da Mamã. Que saudades! Ainda por cima, não chegou para me instalar na Foz. Fiquei só pela Boavista. Enfim, vai-se fazendo pela vida. E o JN está pior do que o pasquim do Palma Cavalão.

bicho disse...

Da Ega.

No meu "Tilbury" ouço essa tal de TSF, diz que aquilo foi tomado pelos lacaios da causa do avental, nem sei bem.
Diz que lá passa ao Domingo uma espécie de boletim da república que há-de vir, que ao que parece já foi implantada à conta do sangue d'El Rei D Carlos; diz que aquilo vai acabar como vai nascer, ao tiro e à bomba...

Bem lhe dizia João da Ega, essas porcarias da "ideia nova" que o meu amigo anda a ler a mim, a si e aos demais ainda nos vão fazer cair em desgraça; o povo anda louco desde aquilo da constituição vintista, lá da França vieram aquelas ideias que só podem acabar mal e agora até de Coimbra nos chegam os ventos da revolução...

E depois ainda me fala do Cavalão, esse chouriço...

Diz que lá para a frente como esse hão de vir muitos e bafejados pelos ventos do sucesso, diz que um vai até inventar um qualquer Marquês da Bacalhoa e que aquilo vai vender mais que o carvão...

Valha-nos El Rei !